O QUE OS GENOMAS DO aEDES AEGYPTI E OS VÍRUS RELACIONADOS PODEM NOS DIZER DE INTERESSANTE?

Atualizado: Jan 16

A segunda palestra de um ciclo de 4 apresentações, ocorreu no dia 06 de Outubro de 2020, o "Webinar": conhecendo os mosquitos Aedes, os transmissores da Dengue e de outras doenças", uma atividade do projeto de extensão "Conhecendo Aedes aegypti e Aedes albopictus, os mosquitos dos VÁRIOS vírus" (PJ041-2020) da Universidade Federal da Integração Latino - Americana (UNILA).


Intitulada "O que os genomas do Aedes aegypti e os vírus relacionados podem nos dizer de interessante?", foi ministrada pelo professor doutor Cristian Antonio Rojas, que descreveu conceitos de genômica e biologia molecular, apresentando estudos sobre o genoma das espécies do gênero Aedes.


O palestrante começa enfatizando sobre os mosquitos do gênero Aedes e as diferenças morfológicas entre eles. Aedes aegypti e Aedes albopictus são transmissores de doenças capazes de desenvolver complicações bastante sérias como a Dengue, a Febre Amarela e a Chikugunya.


* É muito comum que poucas pessoas tenham conhecimento sobre a existência do Aedes albopictus. Isso pode ser explicado, principalmente pelo fato desta espécie não ter hábitos urbanos, como é o caso do seu "primo" Aedes aegypti. Apesar de não estar muito presente em ambientes urbanizados e preferir o sangue animal como fonte de alimento, o A. albopictus é tão perigoso quanto o A. aegypti.



Imagem 1 - Diferenças morfológicas entre Aedes aegypti, à esquerda e Aedes albopictus, à direita.


Os mosquitos dos gêneros Aedes são vetores.

VETOR: Dizemos que inseto é vetor, quando este tem a capacidade de carregar vírus dentro do próprio organismo e na medida que se desenvolve, passa essa contaminação para as pessoas que forem picadas.


Imagem 2 - Ciclo de transmissão da dengue.


Tanto mosquito sadio picando pessoas infectadas quanto mosquito infectado picando pessoas sadias que posteriormente desenvolverão a dengue.


GENOMA

A genômica é a área da Biologia Molecular responsável pela decodificação do material genético de algum organismo.

O professor Cristian faz comentários sobre artigos que apresentaram decodificações de algumas regiões do mosquito Aedes aegypti, o primeiros deles em 2007. Em 2018 o artigo foi atualizado, dessa vez comm um novo título e novos dados.

Intitulado: "Genoma de referência aprimorado de Aedes aegypti informa controle de vetor de arbovírus", tradução do inglês.


Entre as novas informações tiradas do genoma do inseto encontram-se 300 genes de receptores quimiossensoriais, entre eles receptores de odor, receptores olfativos e receptores ionotróficos (proteínas que permitem a passagem de sais iônicos como Cl- e Na+ pela membrana celular). Esse conjunto de receptores funcionam como estímulos que permitem que o inseto perceba as características ambientais presentes.


RESISTÊNCIA METABÓLICA

Quanto a resistência metabólica do inseto, o professor, doutor em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro exemplifica a respeito da proteína GST que ajuda o Aedes a se desintoxicar de componentes maléficos para o seu desenvolvimento. Como por exemplo, repelentes e inseticidas.

Isso explica a baixa eficiência de métodos de controle de aboviroses adotados pelas prefeituras municipais, como o "fumacê".


AEDES ALBOPICTUS

O palestrante faz considerações especiais sobre essa espécie. Baseando suas informações num artigo publicado em 2020: "Genoma de referência aprimorado de Aedes albopictus informa controle de vetor de arbovírus", tradução do inglês. O artigo traz esclarecimentos a respeito do genoma melhorado de A. albopictus em relação ao que se sabia em estudos anteriores, principalmente sobre a questão da resistência metabólica a inseticidas, baseada em sistemas genéticos versáteis do mosquito. Além disso, o docente faz apontamentos interessantes sobre os genomas do Zika Vírus, Chikungunya, Febre Amarela e Dengue, que valem muito a pena serem acompanhados acessando a palestra completa, disponível abaixo:


Referências Bibliográficas


Imagem 1 - http://higeya.blogspot.com/2016/01/nao-mantenha-larvas-de-aedes-em-casa.html. Acesso em 21 de Outubro de 2020.


Imagem 2 - http://www.biolider.com.br/dengue.html. Acesso em 21 de Outubro de 2020.






0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

SITUAÇÃO ATUAL DA ENDEMIA DE DENGUE EM FOZ DO IGUAÇU

Atualmente, a dengue é uma das doenças que mais crescem no mundo. É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se reproduz em climas quentes e úmidos, por isso, a doença é encontrada em vários paíse

para dúvidas ou sugestões, entre em contato conosco!